A corrente fluídica é como que um oásis - José Cardoso Pires

Reflexo: - Nós também viemos, embora de um local diferente. Acabamos de chegar do Iraque de onde nos conduziram para aqui. Somos muitos, cada um num estado diferente, estávamos mal e não sabíamos como poderíamos sair daquele tormento. Felizmente, já conseguimos começar a ver algo de novo, a sentirmos um bocadinho de paz, depois de termos visto tantos conflitos, tantas explosões, tantos carros armadilhados, tantos corpos destroçados, tantas famílias completamente dizimadas.

Doutrinação: - A corrente fluídica é como que um oásis, uma pousada, para os espíritos que ao abandonarem seus corpos, por de nada mais lhes servirem para a sua evolução neste mundo Terra, permanecem no astral inferior, essa zona da atmosfera da Terra destinada aos ignorantes da vida espiritual. Muitos desses espíritos ignoram a sua nova condição, pensando nomeadamente que continuam a viver neste mundo e a querer participar da vida material a que estavam habituados.

Os espíritos do Astral Superior que, pela sua clarividência, tudo vêm, vão aonde for preciso arrebatar os que estão sofrendo horrores, que foi o vosso caso, para a seguir ao esclarecimento obtido nas Casas Racionalistas Cristãs, partirem para o respectivo mundo astral, de onde tinham vindo para mais uma jornada neste planeta depurador de almas.


Temos conhecimento do que se passa nesse país, não só pelo que nos é dado saber através dos “media”, como também pelo que nos é revelado pelos espíritos boníssimos que expurgam a atmosfera da Terra de espíritos, os mais violentos, perigosos malfeitores astrais, sofredores, que esse país está em guerra e sem fim à vista. E por esta razão elevamos sempre o nosso pensamento para essa zona do mundo para que as Forças do Bem tenham o apoio indispensável e necessário para fazerem todo o bem que almejam.
Reflexo: - Grande era o nosso sofrimento. Engolíamos água e terra e não víamos maneira de acabar com essa tortura. Chegamos, sentíamos-nos a tremer mas com um pouco de calor humano. Ajudai-nos, por favor!

Doutrinação: - É exatamente para isso que elevamos o nosso pensamento aos mundos puríssimos, formamos a nossa corrente fluídica que serve de amparo aos habitantes desses mundos que vos vão arrebatar dos ambientes sofredores trazendo-vos às ditas correntes para serem beneficiados, esclarecidos e enviados para os vossos respectivos mundos espirituais. É esse o contributo que os seres esclarecidos estão a prestar aos que se encontram em situações difíceis.

Nós acreditamos que o pensamento faz maravilhas quando bem irradiado. Infelizmente quase nada tem sido ensinado à humanidade acerca dessa grande verdade. Que o pensamento é tudo na vida dos seres. Com o pensamento alcançamos o êxito, com o pensamento podemos fracassar. Por isso se diz e é uma grande verdade, que o pensamento é uma faca de dois gumes.

Se a maioria já tivesse aprendido a vibrar o pensamento ao alto, temos certeza, não haveria tanto sofrimento neste mundo. Os homens se entenderiam. Haveria sempre uma mão amiga estendida para ajudar a todo aquele que necessitasse, tanto no plano material como no espiritual. O sentimento de fraternidade cristã prevaleceria! Assim, estaria o mundo num caminho muito mais acertado.

Até que a humanidade desperte para a vida espiritual, vamos nós, que temos a felicidade de conhecer e praticar a bela Doutrina que com muito sofrimento foi codificada por aquele que, na sua última encarnação, se chamou Luiz de Mattos.

Reflexo: - Fui uma simples lavradora, ou agricultora, como lhe queiram chamar e vivi toda a minha vida em Trás-os-Montes, norte de Portugal. Desde muito nova havia coisas com as quais eu não me identificava. Não sabia porquê, e à medida que fui crescendo eu tinha visões. Como criança, como adolescente, contava, mas numa determinada altura comecei a ficar introvertida, pois, as pessoas que estavam à minha volta não gostavam de ouvir, demasiadamente agarradas à religião católica, chamavam-me de bruxa. Comecei a sentir vergonha e não havia maneira de me identificar, nem com o catolicismo, nem com o protestantismo, nem com as outras seitas das quais ouvia falar.

E hoje estou aqui, mas estou aqui com uma certa pena de não ter podido estar há mais tempo numa casa como esta, pois afinal vejo que o que se passa aqui é o que se identifica comigo, e o mais estranho ainda é por proferir palavras que se ainda estivesse na minha terra, de posse do meu corpo físico não as diria, pois, muito pouco sei escrever e quase nada também sei ler.

Doutrinação: - O espírito toma posse do seu corpo, ao encarnar, trazendo tudo o que precisa para levar a bom porto o seu barco, melhor dizendo traz o raciocínio, a vontade, o livre arbítrio e o mais importante de todos esses atributos, a mediunidade.

A mediunidade é uma condição da vida dos seres, inata no espírito de cada um, e que só deve ser desenvolvida para o bem da humanidade.

Todos os seres humanos são médiuns, isto é, intermediários dos espíritos, quer desencarnados, quer encarnados em desdobramento consciente durante o sono ou quando em concentração.

Na tua bagagem trouxeste a mediunidade já com algum desenvolvimento, o que te poderia ser muito útil caso tivesses encarnado num meio espiritualmente esclarecido. Como tal não aconteceu, para evitar mais dissabores, deliberadamente, recalcaste esse atributo.
Todas as crianças são médiuns videntes e normalmente essa qualidade se vai diluindo, acabando por desaparecer aos dez, onze anos. Mas, quando a vidência persiste para além dessa idade, os cuidados devem ser redobrados. Os progenitores, especialmente a mãe esclarecida, deverá ensinar seu filho a fazer as irradiações e demais disciplina aconselhada pelo Racionalismo Cristão. Enquanto menor, sob a orientação moral e material da mãe, está sujeito ao ambiente criado no lar. Já adulto, não estando bem esclarecido, poderá ser vítima do astral inferior, com todas as consequências perniciosas que poderão resultar desse facto.

Na bibliografia racionalista cristã encontramos no livro “Como Cheguei à Verdade” um interessante relato de Maria de Oliveira, nascida em Ovar – Portugal, mas que viveu e desencarnou em Luanda – Angola.

Conta a autora o seguinte: Aos sete anos de idade tinha a tarefa de superintender a alimentação e a acomodação do gado no estábulo.

Certo dia, como de costume, cumpriu a sua obrigação. Mas às tantas da noite foi acordada com os berros furiosos do pai que regressava de casa de parentes e tinha visto o seu boi “Trovão” devastando a horta. Admoestando a filha, os dois se deslocaram ao estábulo para verificar se o restante gado havia também fugido, e qual não foi o espanto ao constatarem que tudo estava em perfeita ordem e o próprio boi “Pinto” pachorrento e calmo.

Pai e filha eram médiuns videntes, e a cena tinha sido engendrada pelo astral inferior para perturbar o ambiente familiar.

Todos sabem, pela História da França, das visões e dos feitos da grande Joana d’Arc. Esta, obedecendo às suas vozes, conseguiu o comando do exército francês e derrotou os ingleses que dominavam a França. Após a libertação do seu país, foi julgada e condenada à fogueira como bruxa, pela Inquisição, tribunal da Igreja Católica e posteriormente canonizada como santa.

Enfim, a História está cheia de relatos a atestar factos espiríticos, mas como o pior cego é aquele que não quer ver, a humanidade continua a sofrer por não querer estudar a sério o fenómeno, tão vulgar, da mediunidade dos seres. No entanto temos a certeza, baseada nas leis naturais, comuns e imutáveis que regem o Universo, essa teimosa cegueira passará, porque é imperativo que os seres se esclareçam, se não for amanhã será depois. Todavia gostaríamos que fosse o mais depressa possível e com muito menos sofrimento!
ASTRAL SUPERIOR
JOSÉ CARDOSO PIRES

Que alegria para nós podermos baixar numa Casa Racionalista Cristã. Embora pequena mas com nível espiritual já bem desenvolvido!

Quando estais com o vosso pensamento elevado, cientes de que estais cumprindo devidamente com o vosso dever, as coisas correm a contento, vós ficais satisfeitos e de nós se apossa aquela alegria espiritual própria da plêiade do Astral superior.

Queremos deixar claro aqui que todos os militantes de uma Casa Racionalista cristã têm por dever e obrigação cumprirem com as missões para as quais foram incumbidos, não desprezando qualquer que seja o lugar que lhes for indicado. Capacitem-se que, quando se tira uma corrente uns podem ir para uns lugares diferentes do habitual mas isso é para o bom desenvolvimento dos trabalhos que vão decorrer. Seja porteiro, seja fiscal, director ou presidente, ou qualquer constituinte da mesa ou meia corrente, deverá estar em sintonia com o todo, jamais desviando o pensamento para algo fora da Casa Racionalista Cristã onde vos encontreis nesta missão sublime.

Mais uma advertência que nunca é demais, devereis ter consciência plena de que todo aquele que encarna deverá procurar cumprir as quatro fases da vida e desencarnar o mais tarde possível. Porém, todos sabem que há contingências no mundo Terra e muitas vezes o espírito desencarna antes de cumprir essas quatro fases da vida.
Por assim ser, necessário se torna, que, cada dia mais, vos esforceis de maneira a estarem sempre prontos para o momento da desencarnação. Um racionalista cristão convicto, cumpridor dos seus deveres, ao desencarnar deverá imediatamente ascender ao seu mundo de luz, nunca permanecendo na atmosfera terrestre.

Fiquem com as minhas saudações espirituais pela alegria do trabalho desempenhado aqui, continuai com força e coragem e encerrem a sessão em nome do vosso Presidente Astral, António Cottas.

Poderá gostar de conhecer:

Casas Racionalistas Cristãs espalhadas pelo mundo